12.3.18

Quando foi que o futuro deixou de ser nós?


Te ver parado aí desse outro lado da rua e eu sem poder correr para te abraçar me enche o peito de tristeza. Nem que eu tentasse segurar as lágrimas eu conseguiria, e pelo visto você também não, já que seus olhos brilharam tão, ou mais intensamente, igualzinho em quando nos vimos pela primeira vez.  

Você também quer chorar, não quer? Eu sei que quer.

Seu cabelo tá tão bagunçado quanto o meu, nada era tão comum entre nós quanto isso. Você continua usando esse seu lindo e desajeitado sobretudo e eu com a mesma roupa que usei na última vez que nos beijamos. Foi bom e eu o guardei como se fosse a melhor coisa que podíamos ter feito um pelo outro.

Esses carros não param de correr, e eu não consigo parar de te olhar.

Com ela.
De mãos dadas.

E a gente vai passar lado a lado, você vai fingir que não me conhece  e eu fingirei que tudo bem, quando na verdade eu nunca senti tanto em ver esses dedos cruzados com outros e aquela casa dividida com ela.

Também vou fingir que é fácil doar nossos sonhos para outra pessoa. Nosso café da tarde na sacada do prédio. Nossos filhos aprendendo a surfar e a tocar aquele piano velho e empoeirado da sua avó. 

Será que eles vão saber de mim?

Os meus vão saber de você, porque você foi a parte mais sincera do meu coração. E eu vou guarda-lo como se fosse o bem mais precioso do mundo.

Quando foi que o futuro deixou de ser nós? É o que me pergunto enquanto seco minhas bochechas e você as suas.

Quando o farol abre eu atravesso a rua, lentamente meu ombro se aproxima do seu, é o mais próximo depois de todos esses anos.
O seu cheiro me acompanha e como se fosse ensaiado eu viro para trás, e você também, paramos, novamente, e sinto como se a minha alma saudasse a sua, e as lágrimas agora mais descontroladas e cheias de saudade. Segundos parecem anos, e eu desejaria que fosse.

E é assim que termina mais um dia,
quando eu voltar para casa eu vou entrar no seu facebook e ver as suas fotos, você provavelmente vai olhar as minhas e em silêncio, dentro do meu coração eu vou dizer: Eu ainda amo você e, eu sei, que você vai estar dizendo o mesmo. 

Por que é assim que somos,
nem juntos, nem perto, mais eternizados no coração um do outro.

With love, R.


comentário(s) pelo facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

@mmoniele