13.1.17

É aquele sentimento de não pertencimento a essa realidade, sabe?

Querida Moniele,

A um tempo eu tenho dito lá no instagram, no stories - me acompanhe @mony_hack-, o quanto as vezes meu coração sente que não pertence a este lugar, não a terra especificamente, mas a esta era. 2017. 2016.2015..., sabe? É como se eu olhasse para trás e vivesse numa realidade diferente e cheia de aventuras. Lá, as coisas são tão mais intensas, diversidas

Dias desses conheci a música april showers, no canal da Jess Vieira, e amigos, não me ache louca, é só que ela despertou em mim sentimentos que eu nem sabia que existia aqui dentro. Não é como se eu pudesse voltar atrás, é como se algo mais importante realmente importasse, sabe? Mas daí bateu saudade do que realmente nunca foi meu, como se eu já tivesse estado lá. Talvez isso se deva ao meu incrível interesse pela história e arqueologia, pela beleza que eu enxergo no passado. Nas descobertas da civilização. No início, no meio e no fim. No porque. Sempre tive curiosidade de saber qual a minha origem real, sabe? Depois dos nossos primeiros pais, como foi o passar da minha família nessa Terra. Lá no comecinho até chegar em minha geração, como eles foram, real oficial? Será que eu fui parecida com alguém da minha história? Será que vou conhece-los no céu um dia? Será que Deus reservou esse momento para mim? Ele sempre soube das minhas questões, de qualquer forma.

Mas daí, quando fechei os olhos e deixei ser levada pela música, me senti flutuando no céu. Andando pelas ruas de ouro ao lado do meu anjo, vendo as flores em cada canto. Conversando, em paz. Sabe? Não é surreal o poder que a música tem de te levar ao céu e ao réu em alguns minutos?   É por essa razão a importância de você escolher bem o que acessa a sua alma, o que adentra a sua vida, sabe? A música tem o poder INERANTE de fazer você sentir.

Descobri ano passado que o nome disso é anemoia, que significa nostalgia por um tempo que nunca conheceu. E vou ser bem realista, eu tenho essa "anemoia" todos os dias, quando caminho pelo centro de São Paulo, quando leio as histórias que cercam nossa mundo e preenchem as lacunas do desconhecido que é esse universo. Durante a noite quando meus olhos encontram as estrelas e meu corpo quer voar para ver o que de tão lindo e louco tem mais para cima, sabe? Como são nossos vizinhos nos outros mundos? Como será eu, quando não houver mais esse mundo  e todos nós vivermos no céu. Como será?

É, talvez você não esteja entendendo nada do que eu escrevi aqui, agora, mas a Moniele sabe, que nesse instante, nessa semana,  a única coisa que a traduz é: Anemoia.

3 comentários:

  1. Que amor de texto <3 Feliz 2017, que nesse ano você possa viajar ainda mais através de musicas e pensamentos hahaha https://universodecifrado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei seu post <3
    Eu tb sinto que não pertenço a esta era, mas não tenho curiosidade para saber do nosso passado, acho que é muito complicado e meu cérebro sempre pensa em algo que tira toda a fantasia daquilo. Eu não acredito nem em dinossauros huashsud
    Mas eu entendo perfeitamente esse seu sentimento de nostalgia de algo que nunca aconteceu. Tenho isso muitas vezes, as vezes fico tentando buscar na memória se aquilo realmente aconteceu ou não...

    Carol | Pink is not Rose

    ResponderExcluir
  3. Olá! Tudo bem?
    Estou voltando com o blog e gostaria muito de contar com a sua visita novamente.
    Não conhecia essa música.
    Até a próxima!
    Blog: Espinha Punk!

    ResponderExcluir

@monielehackman