( 24.8.16 ) - - Textos

Fomos aquela história de final... Infeliz


Bateu saudade do seu carinho e do seu amor, quer dizer, de todo o resto também. Bateu saudade das ligações no fim da noite e as mensagens no começo do dia, senti vontade de tocar a campainha da sua casa semana passada quando o meu carro cruzou a sua rua. Senti vontade de te procurar pela milésima vez essa semana, só pra saber se você tá bem ou se tá com outra, se você pensa em mim ou se me reconheceria se me visse no aeroporto que trabalha. Ou na porta do seu quarto.

Você sabia ler cada vírgula minha, cada reticencias, cada interrogação e ponto final. Cê sabia a hora de falar e a hora de me deixar pra lá, quieta, mas cê sabia que devia estar presente, nem que fosse do outro lado da sala. Você foi aquele pedaço que me faltava e agora? Agora é difícil tapar o buraco que cê deixou, reconstruir as cicatrizes do seu adeus e cada pedacinho meu me lembra você é que foi tudo rápido demais, o adeus foi rápido e o recomeço tá sendo lento.

Mas foi melhor assim.
Cê tinha cada coisa em seu lugar, tinha tudo o que eu imaginei num cara perfeito, mas é aquele ditado garoto, a perfeição não pertence ao ser humano e você? você tinha tudo o que eu odiava em alguém. Era infiel. Me traiu com a minha prima, minha melhor amiga e a Raquel, a Raquel era uma irmã pra mim mas não prestava e eu sempre soube, da mesma forma que minhas entranhas gritavam quanto te conheci, querendo me avisar que eu tava me metendo num buraco sem saída porque eu já sabia que você não prestava, também sabia da Raquel, eu só não esperava que ela fosse capaz, que você fosse capaz.

Mas tá tudo bem, ainda dói relembrar aquela cena, ainda dói relembrar você e reviver a sua saudade, ainda dói cruzar na sua rua e fingir que não conheço o numero 47 de cor. Ainda dói ver as suas fotos, ignorar as suas ligações, ignorar a sua existência e fingir que estou bem melhor.

Eu me fiz e refiz milhares de vezes por tua causa, vai ser difícil voltar as origens mas eu tenho paciência porque eu sei, meu amor, que quando isso acontecer, que quando o mar tocar os meus cabelos na mesma intensidade que tocou no último verão antes de você  eu vou aprender amar outra pessoa, e não tenha dúvida, vai ser milhares e bilhares de vezes melhor do que foi com você. Por que sou aquilo, né? Se não for pra transbordar, então não quero meio copo, eu te amei intensamente, mas agora? Aprendi que o verdadeiro amor me pertence, e você? É só mais uma história de um final...infeliz.


5 comentários:

  1. Na vida estamos cheias de histórias inacabadas....

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Que texto!!! E bem verdade...acho que é fácil reconhecermo-nos por momentos nele...
    Beijinho
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  3. Adorei ler!


    Eliana,
    https://around-eliana.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  4. Seus textos são tão sensíveis, me sinto tão conectada. Muitos lindos, todos eles. Que triste são estas situações na vida em que somos "forçadas" a abrir mão de algo tão bom, quanto aquele amor especial, não por escolha, mas por um amor maior, o amor próprio. Que história assim inspirem as garotas e os garotos a valorizarem mais aquele amor verdadeiro!
    Beijo!

    www.insaturada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. ''é só mais uma história de um final infeliz.'' :((((
    http://www.leiturateen.com/

    ResponderExcluir